As origens da acupuntura como método terapêutico se encontram na história da medicina tradicional chinesa. Estudos recentes dão sustentação científica para antigas descobertas empíricas. Os avanços nos conhecimentos em neurofisiologia permitiram definir a acupuntura como um método de estimulação neural periférica cujo objetivo é promover mudanças nas funções sensoriais, motoras e autonômicas, viscerais, hormonais, imunitárias e cerebrais, com resultados terapêuticos. Os mecanismos de ação da acupuntura estão consolidados a partir do paradigma da resposta fisiológica da estimulação neural. A acupuntura moderna científica, resultado de uma evolução histórica, fundamenta-se na comprovação da eficácia clínica e no reconhecimento dos mecanismos biológicos, sinteticamente definidos como neuromodulação. Os objetivos terapêuticos são definidos como promoção de analgesia, recuperação motora, normalização das funções orgânicas, modulação da imunidade, das funções endócrinas, autonômicas e mentais, e ativação de processos regenerativos.
Os diversos alvos da estimulação periférica neuromoduladora incluem nervos, receptores e vias das diferentes modalidades sensoriais (propriocepção, os sentidos do tato e da temperatura, dor); inervação motora dos músculos; fibras autonômicas aferentes e eferentes.
Registros de cerca de 2000 anos relatam o uso da acupuntura no tratamento de hipertensão arterial e uma quantidade considerável de estudos clínicos e revisões sistemáticas têm demonstrado a sua eficácia e a aplicabilidade no tratamento dessas condições.
Sob a denominação acupuntura, agrupam-se diferentes métodos de estimulação neural periférica. No contexto dessa diretriz, o termo inclui acupuntura manual, eletroacupuntura, acupressão e eletroestimulação transcutânea de ponto de acupuntura.
Essa diretriz reflete o estado do conhecimento na época da sua conclusão. Revisões periódicas, atualizações e correções deverão ser feitas futuramente, contemplando as mudanças decorrentes dos avanços científicos e tecnológicos. Tecnicamente simples e indolor, livre de efeitos adversos e de eficácia comprovada, a acupuntura reduz ansiedade e dor, diminui a necessidade de opióides e outros analgésicos, assim como reduz os efeitos adversos induzidos pelas drogas, como Hipertensão arterial. Entretanto, atualmente esse recurso importante especialmente no manejo de pacientes com dor crônica, que demandam intervenções freqüentes, ainda é pouco utilizado em nosso meio. Os motivos incluem a necessidade de pessoal treinado e a falta de divulgação dos benefícios e da aplicabilidade do método.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) editou uma lista com 41 doenças que apresentaram excelentes resultados com o tratamento de acupuntura. Após vinte e cinco anos de pesquisas em renomadas instituições do mundo, a OMS publicou o documento Acupuncture: Review and analysis of reports on controlled clinical trials, no qual expõe os resultados destas pesquisas. Neste documento foi analisada a eficácia da acupuntura – assim como de outras técnicas da Medicina Tradicional Chinesa em comparação com o tratamento convencional para 147 doenças, sintomas e condições de saúde.

Medicina Chinesa Brasil

Autor Medicina Chinesa Brasil

Mais mensagens de Medicina Chinesa Brasil

Junte-se à discussão Um comentário

Deixe uma resposta

Share This