Palestra sobre Modernos tratamentos da doença de Parkinson

A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa com comprometimento motor que inclui tremor em repouso, rigidez, bradicinesia e anormalidade postural. Estudos epidemiológicos mostram que a prevalência da DP nos países industrializados geralmente é estimada em 0,3% de toda a população e em ~ 1% em pessoas com mais de 60 anos de idade.

Apesar de vários avanços na compreensão da doença de Parkinson (DP), o tratamento farmacológico da DP pela medicina ocidental é principalmente para o gerenciamento de sintomas. Entre os diferentes tratamentos farmacológicos, a levodopa continua sendo a mais eficaz e continua sendo também a base da terapia. No entanto, o uso prolongado de levodopa pode causar complicações motoras incapacitantes, particularmente discinesias e flutuações motoras, o que limita sua utilidade. Ambas as complicações motoras foram encontradas em ~ 40 e 70% dos pacientes após 5 anos e 15 anos de tratamento com levodopa, respectivamente. Além disso, combinados com anormalidades motoras, muitos aspectos não-motores da DP podem afetar significativamente a qualidade de vida dos pacientes, causando problemas como disfunção autonômica, constipação, náuseas, interrupção do sono, dor, sonolência diurna excessiva e distúrbios do humor. Esses problemas geralmente não respondem e podem até ser piorados por tratamentos médicos convencionais ocidentais.

Em vista dos efeitos colaterais indesejáveis a longo prazo da medicina ocidental, muitos pacientes procuram tratamento Complementares para a DP. A medicina tradicional chinesa (MTC) tem sido utilizada há milênios para tratar condições como o tremor das mãos e a agitação da cabeça. A medicina herbal chinesa continua sendo muito popular para o gerenciamento da Doença de Parkinson em países asiáticos, como China, Coréia e Japão. Em um estudo realizado por Rajendran et al., Observou-se que 40% dos pacientes com DP. usam pelo menos uma forma de medicina Oriental. A medicina herbal é uma das três formas mais populares de técnicas adotadas por pacientes com DP. Um estudo do Japão avaliou o papel da medicina herbal chinesa em pacientes com Parkinsonismo induzido por antipsicóticos. Com o uso de uma fórmula padrão de 10 ervas, os investigadores demonstraram uma redução significativa no tremor em pacientes.

Ao contrário da medicina ocidental, os diagnósticos da MTC de DP cai em diferentes categorias de acordo com a constituição fundamental do paciente. Segundo a MTC, a DP é uma condição que representa uma depleção de energia, especialmente no baço e no estômago. As drogas à base de plantas foram, portanto, utilizadas no tratamento da DP sob a orientação geral de “fortalecer o baço e regular o estômago”. ” Jia Wei Liu Jun Zi Tang ” (JWLJZT) é uma formulação antiga desenvolvida por um médico chinês Zhang Lu em 1695 dC, com a função específica de tonificar a energia ( Qi ) do baço e estômago; Tem sido usado para tratar sintomas.

Como resultado, a receita da medicina tradicional Chinesa de 11 ervas, resultou em melhora significativa em algumas complicações não-motoras de tratamento de remédios convencionais e habilidades de comunicação em pacientes com DP idiopática. Estudos dos mecanismos bioquímicos pelos quais o JWLJZT afeta a DP, podem apontar o caminho para novos avanços e ainda melhor tratamento clínico da DP.

A palestra será no dia 26/08/2017 às 16 h no sindicato dos odontologistas de Goiás. Rua T27 n 1232 Q. 66 Setor Bueno. Goiânia – Goiás

Referência:

Treatment of Idiopathic Parkinson’s Disease with Traditional Chinese Herbal Medicine: A Randomized Placebo-Controlled Pilot Clinical Study
Wan Fung Kum, Siva Sundara Kumar Durairajan, Zhao Xiang Bian, Sui Cheung Man, Yuen Chi Lam, Li Xia Xie, Jia Hong Lu, Yan Wang, Xian Zhang Huang, and Min Li

Medicina Chinesa Brasil

Autor Medicina Chinesa Brasil

Mais mensagens de Medicina Chinesa Brasil

Deixe uma resposta

Share This