Todas as postagens por

Medicina Chinesa Brasil

Estudos Científicos sobre o 宗 气 (Qi Ancestral)

Estudos Científicos sobre o 宗 气 (Qi Ancestral)
A vida é baseada em dois aspectos: matéria e um componente não material, elétrico. Em um sistema dinâmico de causalidade recíproca, a matéria e a chamada bioeletricidade interagem umas com as outras, formando uma unidade funcional. O objetivo deste ensaio é resumir evidências de bioeletricidade, da sensibilidade de biossistemas a fatores físicos externos e das interações de bioeletricidade interna com estruturas bioquímicas internas. Proponho que a informação não-material dos estados bioelétricos seja tão hereditária de geração a geração quanto o código genético material.

Segunda Edição do Livro O PARACÉREBRO – Novos Horizontes para Medicina

O autor expõe com muita clareza e embasamento científico, o universo íntimo da consciência e as origens das doenças com um enfoque diferente dos consensos médicos e psicológicos atuais. Inspirado em descobertas científicas modernas dentro da física, biologia e psicologia. Propõe um novo campo de estudo: a paraneurologia e apresenta a teoria do paracérebro (o cérebro além do cérebro) que explica como ocorrem os desequilíbrios orgânicos e psíquicos. 

Promove, sustentado por evidências da ciência atual, uma análise de diferentes patologias ligadas a alguns traços comportamentais. 

A teoria do paracérebro é a solução mais racional para a antiga discussão quanto a ligação entre mente e matéria ou a interação entre a consciência e o corpo humano. 

Dentro deste novo contexto, as doenças são vistas como uma oportunidade de melhorar os traços de personalidade para enquadrar o indivíduo dentro de uma produtividade sadia na sociedade. Sabendo identificar essas oportunidades com autoconhecimento, aliadas a disposição em aprender com os próprios erros, o discernimento e a força de vontade para implementar as mudanças necessárias de atitudes, o autor explica a possibilidade de como melhorar nosso desempenho e resgatar nossa responsabilidade perante nós mesmos e  a humanidade.

 

 

Transformações Científicas e a Medicina Tradicional Chinesa

Digitei a alguns minutos atras a palavra “acupuncture” no google acadêmico (para quem não conhece é onde estão “papers” pesquisas  CONFIÁVEIS sobre informações científicas do mundo todo) e apareceram 584 mil resultados. Fiz o mesmo com a frase “traditional chinese medicine” e apareceram dois milhões duzentos e cinquenta mil pesquisas científicas de importantes universidades no mundo. Vamos aos fatos: segundo dados da Organização Mundial de saúde (OMS) mais de 3 bilhões de habitantes no mundo se tratam com a medicina Tradicional Chinesa (até porque de cada 5 pessoas no mundo, 1 é chinesa)  ou seja, mais da metade das pessoas do planeta terra. É a medicina oficial da segunda maior potência do mundo (caminhando para ser a primeira). Chamar de “pouco conclusivo” a eficácia dessa medicina que beira 7 mil anos de história, que faz da nossa arrogante medicina ocidental parecer um bebê de colo, é no mínimo ignorância franca. Quando  não se é permitido a divulgação e a publicação de estudos sobre o assunto nos conselhos de ética médica e quando qualquer médico que tente integrar essas práticas no Brasil, é caçado e taxado como bruxo e charlatão. O desejo do paciente sempre tem que vir em primeiro lugar e os pacientes tem solicitado cada vez mais esse tipo de tratamento. Essas práticas não são restritas a medicina, portanto, muitos de nós nem se preocupam em estudar sobre, e por isso, não possuem capacidade de exercer qualquer julgamento. Só porque não é restrito a medicina, não significa que não funciona. E TOMAR REMÉDIO PRA VIDA TODA, É CURA? Absurdo considerar acupuntura e homeopatia como práticas alternativas, quando as mesmas, hoje (ano base 2018) no Brasil, são especialidades médicas, com prova de título. Nada Melhor do que resultado e a satisfação do paciente. PARABÉNS AO SUS (escola de todos nós) por integrar esses tratamentos em sua rotina.

Meridianologia e Intersticio Celular

Meridianologia Humana x interstício celular.

Dr. Ismael Pinheiro falou sobre a endomicroscopia confocal a laser (pCLE) fornece imagens histológicas em tempo real de tecidos humanos a uma profundidade de 60 a 70 μm durante a endoscopia. O pCLE do ducto biliar extra-hepático após a injeção de fluoresceína demonstrou um padrão reticular dentro dos seios preenchidos com fluoresceína que não tinham correlato anatômico conhecido. O congelamento do tecido da biópsia antes da fixação preservou a anatomia dessa estrutura, demonstrando que ela faz parte da submucosa e de um espaço intersticial cheio de líquido anteriormente não apreciado, drenando para os linfonodos e sustentado por uma complexa rede de feixes espessos de colágeno. Esses feixes são revestidos de forma intermitente em um lado por células semelhantes a fibroblastos que coram com marcadores endoteliais e vimentina, embora haja uma interface não-linear altamente incomum e extensa entre as proteínas de matriz dos feixes e o fluido circundante. Observamos estruturas semelhantes em numerosos tecidos que estão sujeitos a compressão intermitente ou rítmica, incluindo as submucosas de todo o trato gastrointestinal e da bexiga, a derme, os tecidos moles peri-bronquiais e periarteus e a fáscia. Essas estruturas anatômicas podem ser importantes na metástase do câncer, no edema, na fibrose e no funcionamento mecânico de muitos ou de todos os tecidos e órgãos. Em suma, descrevemos a anatomia e a histologia de um espaço não-reconhecido, embora generalizado, macroscópico e cheio de fluido dentro e entre os tecidos, uma nova expansão e especificação do conceito do interstício humano.

Moléculas da Medicina Chinesa Parte III

Artemisia annua é uma erva comum encontrada em muitas partes do mundo e tem sido usada pelos médicos chineses há mais de 2000 anos no tratamento da malária. O registro mais antigo remonta a 200 aC, nas Cinqüenta e duas Prescrições descobertas no Mawangdui. Sua aplicação antimalárica foi descrita pela primeira vez em Zhouhou Beiji Fang (O Manual de Prescrições para Emergências , chinês : 肘 后备 急 方 ), editado em meados do século IV por Ge Hong; Nesse livro, 43 métodos de tratamento da malária foram registrados. A artemisinina, composto retirado da Artemisia annua, foi descoberta em 1972 por Tu Youyou, uma cientista chinesa, que recebeu  o Prêmio Nobel de Medicina de 2015. Quimicamente, a artemisinina é uma lactona sesquiterpênica contendo uma ponte de peróxido incomum. Acredita-se que esse peróxido seja responsável pelo mecanismo de ação da droga, agindo como um potente antiinflamatório. Poucos outros compostos naturais com essa ponte de peróxido são conhecidos. A OMS recomendou que as terapias combinadas com artemisinina (ACT) sejam a terapia de primeira linha para a malária por P. falciparum em todo o mundo.  As combinações são eficazes porque o componente artemisinina mata a maioria dos parasitas no início do tratamento.

A artemisinina e seus derivados são potentes anti-helmínticos. Descobriu-se que as artemisininas possuem um amplo espectro de atividade contra uma ampla variedade de trematódeos, incluindo Schistosoma japonicum , S. mansoni , S. haematobium, Clonorchis sinensis, Fasciola hepatica e Opisthorchis viverrini. Ensaios clínicos também foram realizados com sucesso na África entre pacientes com esquistossomose.

Referências:

NJ branco (julho 1997). “Avaliação das propriedades farmacodinâmicas de drogas antimaláricas in vivo” . Antimicrob. Agentes Chemother . 41 (7): 1413-22. PMC 163932 Livremente acessível . PMID 9210658 .

Jump up to: a b c “O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina 2015” (PDF) . Fundação Nobel . Recuperado em 7 de outubro de 2015 .

Jump up to: a b Brown, Geoff (julho de 2006). “Artemisinina e uma nova geração de drogas antimaláricas” . Educação em Química . 43 (4): 97-99 . Recuperado em 9 de março de 2018 .

Jump up  Desenvolvimento de Antimaláricos Novos . MalariaWorld (6 de setembro de 2010). Consultado em 2016-10-22.

Longevidade

“No primeiro momento de sua existência, o Coração do ser está na mais absoluta calma, isento de qualquer desejo; o Céu forma-o neste estado. Logo os objetos exteriores atuam sobre ele e nele produzem diversos movimentos. Então surgem as manifestações de apego e aversão. Quando estes não são regulados e o conhecimento crescente não tem limites, o ser não pode voltar a si mesmo, e seus princípios celestiais são extintos. Na presença dos objetos exteriores, ele tem o desejo de conhece-los; ao conhece-los, ele experimenta apego por uns e aversão por outros. Se ele não dominar essas emoções, deixa-se levar pelas coisas exteriores e torna-se incapaz de voltar para dentro de si, sufocando as disposições que ele recebeu do Céu. Desta forma, nós temos um Coração rebelde e enganoso, sem limites e em violenta desordem.”

Referências:

WU, Jing Nuan (trad). Ling Shu, or The Spiritual Pivot. Hawaii: University of Hawaii, 1993. YU, Zi Han et al. NÈI JĪNG LÍNG SÙ KǍO 內經靈素考. Beijing: ZHŌNG GUÓ ZHŌNG YĪ YÀO CHŪ BǍN SHÈ 中國中醫藥出版社, 1992.

癌症與中醫藥

有学者将抑癌基因p53的肿瘤抑制作用比作“阴”,它能修复损伤细胞,或者清除严重损伤的细胞从而避免这些细胞对机体的危害作用。相反将致癌基因c-Myc的肿瘤发生作用比作“阳”,c-Myc基因能促进细胞周期的生长、增殖,与某些组织肿瘤的发生、发展和演变转归有重要关系。现在人们普遍认为,癌症的发生主要是由于这种阴阳的平衡逐渐被破坏,可以是先天的遗传基因或后天的物理、化学、生物的致癌物质改变所致。在过去30年中,有许多相关的阴阳调节蛋白被发现,而p53和c-Myc最具有代表性,因为它们具有相反的作用,对控制细胞的生长、增殖,调节蛋白之间的动态平衡有着重要的作用

越来越多的科学家发现理解阴阳学说的内涵对研究细胞周期调控的重要性,并相信“届时我们将在细胞生物学的基础之上完全揭开动态阴阳的奥秘。”[13]首先,细胞周期调控的每一个环节中,各元素间都存在着阴阳相互对立的动态平衡调节作用 其次,在细胞周期调控中,细胞内在的因素和外在的因素同样重要,并且相互协调才能维持细胞正常增殖[15]。另外,在病理方面,Galgani M等[16]认为调节性T细胞的阴阳双重调节作用对免疫系统的平衡起着至关重要的作用,一旦阴阳平衡被破坏,超越了其免疫耐受状态,自动免疫性疾病或癌症将会发生。科学家们发现“令人惊奇的是,这种古代的中医阴阳学说所回答的疾病是如何发生的这一理论,现在在分子水平上被证实。