Categoria

Sem categoria

A Clínica Medicina Chinesa Brasil oferece o Multiscan Pro

A clínica Medicina Chinesa Brasil oferece o MULTISCAN PRO – Para Avaliação não invasiva do estado Funcional do corpo. Multiscan é um inovador sistema de medição e análise. As informações obtidas são processadas para fornecer uma visão sobre o estado de saúde e coesão de sintomas. As análises fornecem uma visão geral de: estilo de vida: nutrição e suplementação, diabetes, pH e eletrólitos, funcionalidade de órgãos, neurotransmissores, hormônios e uma visão detalhada do Jing Mai (meridianos da medicina tradicional chinesa). Além de informações sobre o estado cardiovascular, o sistema nervoso autônomo, o sistema osteoarticular. O sistema Multiscan Pro é uma combinação de diferentes tecnologias com diferentes aplicações, a fim de obter uma análise física e detalhada do corpo. A medição é feita por meio de 6 eletrodos e uma sonda na qual as seguintes funções são incorporadas; o sensor de oxímetro de pulso (SpO2), o sensor fotoeletrógrafo elétrico (sensor PP) e um sensor de variabilidade da freqüência cardíaca (sensor HRV).O sistema Multiscan Pro é um sistema médico informatizado que permite criar imagens e gráficos customizadas do paciente. Fornece informações valiosas sobre o organismo, com indicações do seu estado de saúde funcional. Esses indicadores formam uma referência estável para monitorar e avaliar a evolução de uma tratamento em particular. Este é um sistema único e pioneiro baseado em uma avaliação fisiológico-bioquímica do espaço intersticial e na produção celular de ATP. É o primeiro sistema que consegue, com base na bioimpedância, fazer uma análise tecnológica da função de órgãos e sistemas em nível fisiológico e bioquímico. A medição é um fluxo contínuo de 1,5 mV que somente atravessa o fluido extracelular (bioimpedância CC), validado por fórmulas químicas, condutividade, resistência e peso molecular. Calcula a concentração de moléculas, e mais o importante, o nível de metabolismo celular e tecidos segundo o fornecimento de sangue e a produção de níveis de ATP e a densidade dos tecidos. Certificados: Sistema Médico Classe IIA. CE, FDA, Inmetro e ISO. ANVISA MS:

Estudos Científicos sobre o 宗 气 (Qi Ancestral)

Estudos Científicos sobre o 宗 气 (Qi Ancestral)
A vida é baseada em dois aspectos: matéria e um componente não material, elétrico. Em um sistema dinâmico de causalidade recíproca, a matéria e a chamada bioeletricidade interagem umas com as outras, formando uma unidade funcional. O objetivo deste ensaio é resumir evidências de bioeletricidade, da sensibilidade de biossistemas a fatores físicos externos e das interações de bioeletricidade interna com estruturas bioquímicas internas. Proponho que a informação não-material dos estados bioelétricos seja tão hereditária de geração a geração quanto o código genético material.

Segunda Edição do Livro O PARACÉREBRO – Novos Horizontes para Medicina

O autor expõe com muita clareza e embasamento científico, o universo íntimo da consciência e as origens das doenças com um enfoque diferente dos consensos médicos e psicológicos atuais. Inspirado em descobertas científicas modernas dentro da física, biologia e psicologia. Propõe um novo campo de estudo: a paraneurologia e apresenta a teoria do paracérebro (o cérebro além do cérebro) que explica como ocorrem os desequilíbrios orgânicos e psíquicos. 

Promove, sustentado por evidências da ciência atual, uma análise de diferentes patologias ligadas a alguns traços comportamentais. 

A teoria do paracérebro é a solução mais racional para a antiga discussão quanto a ligação entre mente e matéria ou a interação entre a consciência e o corpo humano. 

Dentro deste novo contexto, as doenças são vistas como uma oportunidade de melhorar os traços de personalidade para enquadrar o indivíduo dentro de uma produtividade sadia na sociedade. Sabendo identificar essas oportunidades com autoconhecimento, aliadas a disposição em aprender com os próprios erros, o discernimento e a força de vontade para implementar as mudanças necessárias de atitudes, o autor explica a possibilidade de como melhorar nosso desempenho e resgatar nossa responsabilidade perante nós mesmos e  a humanidade.

 

 

Transformações Científicas e a Medicina Tradicional Chinesa

Digitei a alguns minutos atras a palavra “acupuncture” no google acadêmico (para quem não conhece é onde estão “papers” pesquisas  CONFIÁVEIS sobre informações científicas do mundo todo) e apareceram 584 mil resultados. Fiz o mesmo com a frase “traditional chinese medicine” e apareceram dois milhões duzentos e cinquenta mil pesquisas científicas de importantes universidades no mundo. Vamos aos fatos: segundo dados da Organização Mundial de saúde (OMS) mais de 3 bilhões de habitantes no mundo se tratam com a medicina Tradicional Chinesa (até porque de cada 5 pessoas no mundo, 1 é chinesa)  ou seja, mais da metade das pessoas do planeta terra. É a medicina oficial da segunda maior potência do mundo (caminhando para ser a primeira). Chamar de “pouco conclusivo” a eficácia dessa medicina que beira 7 mil anos de história, que faz da nossa arrogante medicina ocidental parecer um bebê de colo, é no mínimo ignorância franca. Quando  não se é permitido a divulgação e a publicação de estudos sobre o assunto nos conselhos de ética médica e quando qualquer médico que tente integrar essas práticas no Brasil, é caçado e taxado como bruxo e charlatão. O desejo do paciente sempre tem que vir em primeiro lugar e os pacientes tem solicitado cada vez mais esse tipo de tratamento. Essas práticas não são restritas a medicina, portanto, muitos de nós nem se preocupam em estudar sobre, e por isso, não possuem capacidade de exercer qualquer julgamento. Só porque não é restrito a medicina, não significa que não funciona. E TOMAR REMÉDIO PRA VIDA TODA, É CURA? Absurdo considerar acupuntura e homeopatia como práticas alternativas, quando as mesmas, hoje (ano base 2018) no Brasil, são especialidades médicas, com prova de título. Nada Melhor do que resultado e a satisfação do paciente. PARABÉNS AO SUS (escola de todos nós) por integrar esses tratamentos em sua rotina.

Meridianologia e Intersticio Celular

Meridianologia Humana x interstício celular.

Dr. Ismael Pinheiro falou sobre a endomicroscopia confocal a laser (pCLE) fornece imagens histológicas em tempo real de tecidos humanos a uma profundidade de 60 a 70 μm durante a endoscopia. O pCLE do ducto biliar extra-hepático após a injeção de fluoresceína demonstrou um padrão reticular dentro dos seios preenchidos com fluoresceína que não tinham correlato anatômico conhecido. O congelamento do tecido da biópsia antes da fixação preservou a anatomia dessa estrutura, demonstrando que ela faz parte da submucosa e de um espaço intersticial cheio de líquido anteriormente não apreciado, drenando para os linfonodos e sustentado por uma complexa rede de feixes espessos de colágeno. Esses feixes são revestidos de forma intermitente em um lado por células semelhantes a fibroblastos que coram com marcadores endoteliais e vimentina, embora haja uma interface não-linear altamente incomum e extensa entre as proteínas de matriz dos feixes e o fluido circundante. Observamos estruturas semelhantes em numerosos tecidos que estão sujeitos a compressão intermitente ou rítmica, incluindo as submucosas de todo o trato gastrointestinal e da bexiga, a derme, os tecidos moles peri-bronquiais e periarteus e a fáscia. Essas estruturas anatômicas podem ser importantes na metástase do câncer, no edema, na fibrose e no funcionamento mecânico de muitos ou de todos os tecidos e órgãos. Em suma, descrevemos a anatomia e a histologia de um espaço não-reconhecido, embora generalizado, macroscópico e cheio de fluido dentro e entre os tecidos, uma nova expansão e especificação do conceito do interstício humano.

Moléculas da Medicina Chinesa Parte III

Artemisia annua é uma erva comum encontrada em muitas partes do mundo e tem sido usada pelos médicos chineses há mais de 2000 anos no tratamento da malária. O registro mais antigo remonta a 200 aC, nas Cinqüenta e duas Prescrições descobertas no Mawangdui. Sua aplicação antimalárica foi descrita pela primeira vez em Zhouhou Beiji Fang (O Manual de Prescrições para Emergências , chinês : 肘 后备 急 方 ), editado em meados do século IV por Ge Hong; Nesse livro, 43 métodos de tratamento da malária foram registrados. A artemisinina, composto retirado da Artemisia annua, foi descoberta em 1972 por Tu Youyou, uma cientista chinesa, que recebeu  o Prêmio Nobel de Medicina de 2015. Quimicamente, a artemisinina é uma lactona sesquiterpênica contendo uma ponte de peróxido incomum. Acredita-se que esse peróxido seja responsável pelo mecanismo de ação da droga, agindo como um potente antiinflamatório. Poucos outros compostos naturais com essa ponte de peróxido são conhecidos. A OMS recomendou que as terapias combinadas com artemisinina (ACT) sejam a terapia de primeira linha para a malária por P. falciparum em todo o mundo.  As combinações são eficazes porque o componente artemisinina mata a maioria dos parasitas no início do tratamento.

A artemisinina e seus derivados são potentes anti-helmínticos. Descobriu-se que as artemisininas possuem um amplo espectro de atividade contra uma ampla variedade de trematódeos, incluindo Schistosoma japonicum , S. mansoni , S. haematobium, Clonorchis sinensis, Fasciola hepatica e Opisthorchis viverrini. Ensaios clínicos também foram realizados com sucesso na África entre pacientes com esquistossomose.

Referências:

NJ branco (julho 1997). “Avaliação das propriedades farmacodinâmicas de drogas antimaláricas in vivo” . Antimicrob. Agentes Chemother . 41 (7): 1413-22. PMC 163932 Livremente acessível . PMID 9210658 .

Jump up to: a b c “O Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina 2015” (PDF) . Fundação Nobel . Recuperado em 7 de outubro de 2015 .

Jump up to: a b Brown, Geoff (julho de 2006). “Artemisinina e uma nova geração de drogas antimaláricas” . Educação em Química . 43 (4): 97-99 . Recuperado em 9 de março de 2018 .

Jump up  Desenvolvimento de Antimaláricos Novos . MalariaWorld (6 de setembro de 2010). Consultado em 2016-10-22.

Longevidade

“No primeiro momento de sua existência, o Coração do ser está na mais absoluta calma, isento de qualquer desejo; o Céu forma-o neste estado. Logo os objetos exteriores atuam sobre ele e nele produzem diversos movimentos. Então surgem as manifestações de apego e aversão. Quando estes não são regulados e o conhecimento crescente não tem limites, o ser não pode voltar a si mesmo, e seus princípios celestiais são extintos. Na presença dos objetos exteriores, ele tem o desejo de conhece-los; ao conhece-los, ele experimenta apego por uns e aversão por outros. Se ele não dominar essas emoções, deixa-se levar pelas coisas exteriores e torna-se incapaz de voltar para dentro de si, sufocando as disposições que ele recebeu do Céu. Desta forma, nós temos um Coração rebelde e enganoso, sem limites e em violenta desordem.”

Referências:

WU, Jing Nuan (trad). Ling Shu, or The Spiritual Pivot. Hawaii: University of Hawaii, 1993. YU, Zi Han et al. NÈI JĪNG LÍNG SÙ KǍO 內經靈素考. Beijing: ZHŌNG GUÓ ZHŌNG YĪ YÀO CHŪ BǍN SHÈ 中國中醫藥出版社, 1992.