Categoria

Sem categoria

Medicina Tradicional Chinesa Patrimônio Cultural e Imaterial pela UNESCO

Em novembro de 2010, o Comitê Intergovernamental da UNESCO para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial aprovou oficialmente a inclusão da Medicina Tradicional Chinesa na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Até agora, mais de 30 colégios e mais de 100 institutos na China estão envolvidos em educação e pesquisas da Teoria da Medicina Tradicional Chinesa, e a técnica foi aplicada ao tratamento clínico por instituições médicas em mais de 160 países e regiões, envolvendo mais de 100.000 acupuntores registrados.

A Acupuntura foi reverenciada como o “representante da cultura chinesa”, juntamente com cozinha chinesa, kung fu e a fitoterapia. “A acupuntura não é apenas uma terapia, mas também uma notável representante da Medicina Tradicional Chinesa que remonta a mais de 5.000 anos. Sua representatividade como o Patrimônio Mundial indica que a Medicina Tradicional Chinesa, baseada na harmonia entre o homem e a natureza, bem como as teorias dialéticas, adquiriu reconhecimento mundial.

“Ao contrário da medicina ocidental que é considerada apenas como ciência médica, a medicina tradicional chinesa inclui filosofia chinesa, somatologia, ciência ambiental, astronomia, meteorologia, mineralogia, botânica e humanidades, e também leva em conta a alma, o humor e a ética humanas “.

Ao diagnosticar, médicos tradicionais chineses consideram não só a própria doença, mas também o humor e o sentimento do paciente como base para obter uma compreensão abrangente. Na teoria médica chinesa tradicional, a saúde mental e corporal estão estreitamente inter-relacionadas. Uma grande diferença entre a medicina tradicional chinesa e a medicina ocidental é que o primeiro trata as pessoas enquanto o último cura doenças.

De acordo com a medicina chinesa tradicional, o tratamento médico é personalizado porque as pessoas variam em suas condições congênitas, antecedentes familiares, ambiente de crescimento, experiência de vida, alimentos, gênero e idade.

CURSO DE PSICOSSOMÁTICA

Psicossomática: Introdução a Psicossomática, Visão Ocidental e Oriental, Paradigmas e o Estudo das Emoções, Biofísica e Fisiologia Humana, Sinais e Sintomas de Psicossomatizações

• Neurofisiologia e Neuroanatomia das Emoções, O Estresse, Visão da Medicina Tradicional Chinesa da Psicossomatização, Formas de Diagnóstico de Transtornos Psicossomáticos.

Dia 23 de setembro de 2017

  • C264 esq. c235 N.Suíça – Goiânia – GO – Brasil
  • 62 3942.1892 / 9936.2466

CURSO DE FISIOLOGIA ENERGÉTICA HUMANA

O Curso FISIOLOGIA ENERGÉTICA HUMANA visa apresentar estudos recentes sobre o Sistema Energético, abordar a influência das Bioenergias na Biofísica e Bioquímica Humana, além de expor a Meridianologia Humana, com base em evidências científicas.

Objetivos:

Destacar a aplicabilidade do Sistema Energético na saúde Humana.

Conscientizar sobre a importância do Equilíbrio orgânico na Fisiologia Energética.

Conscientizar sobre a conexão entre corpo Humano e energossoma, com enfoque científico.

Apontar as implicações do Assédio Bioquímico.

 

Carga Horária 6 horas

Data: 05 de novembro de 2017

Foz do Iguaçu – Paraná – Brazil

 

 

Esgotamento Profissional?

Entenda o que é a Síndrome de burnout

Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso. Também chamada de Síndrome do esgotamento Profissional.

O Instituto Superior de Tecnologia de Zurique (ETH), registra o crescimento de ocorrência de “Burnout” em ambientes profissionais, apesar da dificuldade de diferenciar a síndrome de outros males, pois ela se manifesta de forma muito variada: “Uma pessoa apresenta dores estomacais crônicas, outra reage com sinais depressivos; a terceira desenvolve um transtorno de ansiedade de forma explícita”, no total, já foram descritos mais de 130 sintomas do esgotamento profissional.

Burnout é geralmente desenvolvida como resultado de um período de esforço excessivo no trabalho com intervalos muito pequenos para recuperação.

Os trabalhos com altos níveis de estresse podem ser mais propensos a causar burnout do que trabalhos em níveis normais de estresse ou esforço. Profissionais de TI, cientistas, policiais, taxistas, bancários, controladores de tráfego aéreo, engenheiros, músicos, professores e artistas parecem ter mais tendência ao burnout do que outros profissionais.

Alguns dos sinais e sintomas que ajudam a identificar o problema são:

1 Cansaço físico e mental constante e excessivo;

2 Sensação constante de negatividade, como se nada fosse dar certo;

3 Falta de vontade para fazer atividades sociais ou estar com outras pessoas;

4 Dificuldade para se concentrar no trabalho ou tarefas diárias;

5 Falta de energia para manter hábitos saudáveis, como ir na academia ou ter um sono regular;

6 Sentimento de que não se está fazendo o suficiente dentro e fora do trabalho;

7 Dificuldade para gostar das mesmas coisas que se gostava anteriormente;

8 Colocar as necessidades dos outros à frente das próprias;

9 Alterações repentinas de humor, com muitos períodos de irritação;

10 Isolamento de pessoas significativas, como amigos e familiares.

Como profilaxia da síndrome, vão algumas dicas do Dr. ismael Pinheiro:

1. Avalie quanto as condições de trabalho estão interferindo em sua qualidade de vida e prejudicando sua saúde física e mental.

2.Avalie a possibilidade de propor nova dinâmica para as atividades diárias e objetivos profissionais.

3. Não use a falta de tempo como desculpa para não praticar exercícios físicos e não desfrutar momentos de descontração e lazer. Mudanças no estilo de vida podem ser a melhor forma de prevenir ou tratar a síndrome de burnout.

4. Tenha uma alimentação saudável, evitando à ingestão em demasia de café.

5. procure não ingeris bebidas alcoólicas como subterfúgio para as crises.